sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Cartas para você III

Thi,

Essa noite eu sonhei muito com você. Muito mesmo, acho que a noite toda. Você não veio esclarecer minhas dúvidas, nem me contar o porquê. Você não veio me dizer o que há depois da morte. Você não veio me mostrar como sair do fundo do poço. No sonho, Thi, você não tinha morrido. Você me dizia que tinha viajado para Venezuela (acho que era isso) para ajudar um amigo que estava doente e que não ligou nem falou nada porque não tinha dado tempo. Acho que o sonho não representava esse mais de um mês depois. Acho que era só uns quinze dias.

Eu quebrava tudo na nossa casa, de um jeito que nunca vi, fiquei completamente louca de raiva. Gritava perguntando como me deixara pensar que você havia morrido. Dizia que todos os seus amigos choraram a sua morte, que tinha gente me ajudando a pagar as contas, que seus cartões estão todos em atraso e que me ligam diariamente para fazer cobrança, que seus filhos choraram muito e sentiram muito sua falta, que eu quase não sabia mais o que dizer ao grandão, que eu quase pensei que a morte era a melhor saída, que sua mãe mal consegue sorrir, que sua irmã perdeu o norte, que o nascimento do Arthur também foi marcado por uma tragédia. Eu gritava, gritava, gritava.

Você andava de um lado a outro da casa, entrava nos cômodos, e dizia pra mim: "Está tudo bem, não está? Agradeça às pessoas!". E eu permanecia sem entender, fazendo milhões de perguntas sobre a Venezuela, sobre o amigo a quem você foi ajudar, sobre como você não conseguiu avisar... Essas coisas, Thi, você não respondia. Mas era tão bom saber que você estava vivo e de volta, que eu acordei chorando aliviada e desesperada ao mesmo tempo.

Ah, meu amor, como eu queria que você estivesse aqui!


Quer fazer a bateria do seu notebook render mais? Clique aqui e descubra como.

8 comentários:

Flavia disse...

Que bom que existem os sonhos e as lembranças querida...

Soraya disse...

oooooowwwwww marcele todos os dias peço a DEUS força pra vc continuar sua caminhada.
abraçosss
soraya

Adriana Grion disse...

Acalme seu coração, Marcele. Tire algum tempo do dia pra vc. Só pra vc. Sem ninguém pra incomodá-la. Fique em off, sabe? E nessa hora, faça o que vc quiser fazer: sorrir, chorar, gritar, pensar, lembrar, estática, quieta......Fique em paz consigo mesmo. Bjs

ANNA CAMILA disse...

Ô Marcele!!! peça a ele para acalmar seu coração! peça a ele conforto, minha amiga! Não peça para entender... infelizmente as pessoas boas, por mais que pareça contraditório, sempre vão primeiro... conforto e paz no seu coração! bjus nos pequenos!

Janaina disse...

Não sei exatamente como vim parar no su blog, só sei que estou compadecida e sei tb que de compadecidos vc deve estar farta. Bem, tive vontade de comentar e aqui estou, Deus te abençoe poderosamente!

narinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
narinha disse...

Ai Cele, tão arrepiada ao ler isso, pis semana passada sonhei que Castro tinha te ligado e dito que tava viajando e não tinha morrido e você ficava perplexa. A diferençaentre meu sonho e o seu foi que você ficava tão feliz por ele estar vivo que não conseguiu perguntar mais nada. Desligou o telefone e eu, déa e sabóia começamos a te perguntar como ele podia estar vivo se tínhamos acompanhado o funeral todo...Você só dizia que o importante era ele estar bem e que nada mais importava.

Desculpa estar te contando isso, ao invés de deixar palavras de consolo, mas não consegui conter...

Alê Crisóstomo Fotografia disse...

Ah... eu também queria muito... e a lista é imensa...
Um beijo, minha querida! Deus te fortaleça sempre.