quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Cartas para você XVIII

Thi,

Perdi as contas de quantas vezes olhei para essa foto de olhinhos-fechados-gargalhada e me senti completamente sozinha. Perdi as contas de quantas vezes as lágrimas encharcaram meus olhos e eu me segurei para que elas não caíssem. Nem sei porque me sinto assim, se estou na iminência de ir pa lá e de fechar o ciclo. Mas a verdade é que agora tudo dói, tá tudo em carne viva.

A sua ausência agora se mistura com a ausência de companhia, de alguém pra dividir as responsabilidades, de alguém pra confabular se vale a pena comprar certos eletrodomésticos à vista ou parcelado em 10x no cartão; de alguém que segure minha mão, e faça os furos nas paredes, e lide com marceneiro, pedreiro, gesseiro... É uma saudade tão grande da sua resolutividade, da sua habilidade prática, do jeito que você me permitia me sentir a mulher mais segura do mundo, ao lado do cara que faria qualquer coisa por ela.

Repito que não sei porque me sinto assim. Eu sei que sou capaz de lidar com isso sozinha. Mas a verdade é que eu queria você aqui. Eu queria você para me preocupar só com os detalhes decorativos do apê e programar em quantas milhares de parcelas iríamos pagar tudo. Eu queria você aqui pra sentar e pensar na cor do quarto dos meninos com calma. Eu queria você aqui pra programar o aniversário deles. Eu queria você aqui pra jogar minha perna sobre a sua perna e dizer que te amo baixinho no ouvido, quando o sono tá pesando os olhos, lembra, Thi?

Eu queria só dormir no seu ombro de novo, na casa nova, mesmo que seja num colchão no chão porque não deu tempo - $$$ - de terminar os móveis. Eu quero comer de novo pizza sentada no chão, eu quero de novo colocar a TV em cima de um banquinho de madeira... Mas eu quero tudo isso com VOCÊ! Eu quero a risada de fechar os olhos e engasgar, eu quero ouvir "oi, princesinha!" no telefone; eu quero ouvir você abrindo a porta e chamando os meninos de grandão e gorducho. Eu quero VOCÊ e eu simplesmente não posso ter!

EU num tenho nem conseguido dormir direito. E você sabe o quanto eu sou dorminhoca, me encosto em qualquer lugar e já tô ressonando. Mas é tanta coisa na minha cabeça, tanta coisa pra organizar, pra fazer, que eu não consigo pregar o olho. Esse nunca foi o meu papel, lembra? Era você que resolvia as coisas e eu só cuidava de detalhes. Racionalmente, eu sei que é só insegurança, é só o medo da mudança, é só coisa demais... Acho também que esse encerramento de ciclo, esse fim da estrada tem me parecido com tirar você de dentro de mim, de dentro dos meus olhos... É como se eu fosse me afastar de você definitivamente e eu ainda não quero. Era para querer, mas eu não quero. Não sei o que fazer, só sei que dói e não tenho você para abraçar e para me acalmar!

Amo você demais!

Moreninha

7 comentários:

Yonara disse...

Puxa, vc agora vai ter que ser mais forte ainda. É a prova de fogo, minha cara! Mas vai conseguir pq tem sido forte até agora. Entendo perfeitamente o q sente, é como se agora vc fosse se desvencilhar da lembrança presente no ambiente pra entrar num totalmente novo, onde a pessoa não esteve. No entanto, mulher de verdade é sempre forte. E vc, além de ser, ainda é mãe! Por isso vai conseguir, ah se vai...

felicidadevemprimeiro disse...

Marcele, ainda bem que vc tem esse novo cantinho pra morar, pq isso realmente já dá a sensação de recomeço. Já ajuda bastante. Mas é isso mesmo. Vc não tem que ser uma mulher maravilha e agir como se nada tivesse acontecido. Tudo tem seu tempo... E o próprio tempo se encarregará de sarar essas feridas... Sinceramente eu queria mesmo era ler algum dia que vc tem conversado com Deus e que sentiu o toque divino de força dele. Mas enfim, tudo tem seu tempo...

Beijos

Anônimo disse...

é "soda"!!!

Sofia disse...

Isso também passa ......

Anna Caroline disse...

Marcele, pensa no quanto tudo isso foi desejado, mesmo que agora nao sejam planos mais de 4, e sim de 3. Mas sao planos, sonhos que estao se realizando, e isso é tao lindo!

O Thi tá bem pertinho, torcendo por voces, ficando feliz tb com a mudanca.

abraco fortao!

Anônimo disse...

Faz tempo que venho aqui. Aconteceu quase "por acaso", mas o fato é que a sua história me pegou de jeito. Nunca perdi alguém assim tão próximo e tão amado, mas teus textos me fazem sentir a tua dor. Chorei muitas vezes, como hoje. Como agora. Nunca postei porque acho que não adiantaria muito dizer que "sinto muito" ou coisa parecida, mas hoje resolvi escrever pra dizer que embora seja muito dolorido ler posts como este, eu tenho aprendido a valorizar os que tenho, os que amo e os que me rodeiam. Um abraço forte.

Anônimo disse...

lindaaaaaaaaaaaaaaaa , apenas pra deixar registrado aqui que sempre estou por perto acompanhando a sua evolução e a sua história .
UM GRANDE BEIJO.

Soraya Tomé.