quarta-feira, 28 de abril de 2010

Com o coração a pulsar

Chega um dia em que a gente consegue olhar ao redor e perceber que o mundo continua essencialmente o mesmo, mas a dor mudou você. A gente percebe que é mais forte do que supôs ser. Entende que é capaz de andar muitos quilômetros mais, mesmo que esteja com os pés cheios de bolhas e calos e em carne viva. Chega um dia que a gente vê claramente o que signifca ser adulto e entende o peso que a maturidade e as responsabilidades nos impõem. Chega um dia em que a despeito de todas as coisas, a gente entende que ser feliz é uma questão de escolha pessoal, de ponto de vista, de dentro pra fora, de estar bem consigo, de querer viver e agradecer por estar aqui. Chega um dia em que, mesmo machucado, com hematomas e cicatrizes ainda dormentes, a gente entende que estar vivo, por si só, já é gratificante. Chega um dia em que a gente entende que há esperança sempre e que há o amor esperando pela gente em qualquer esquina da vida. Chega um dia em que a gente nasce, a gente cresce, a gente reproduz, e a gente repete tudo isso um sem número de vezes até o dia em que morre. E quando a gente lida com a morte, a gente percebe que não tem seguro de vida algum que garanta a ausência da dor. A única certeza que existe é de que ela virá e que a gente tem mais é que aproveitar, intensa e profundamente, cada milésimo de segundo em que estivermos com um coração a pulsar.

5 comentários:

Accácia disse...

Espero que cada dia mais vc olhe no espelho e encontre um motivo a mais pra seguir sua vida e encontrar novas razões para estar viva e amar!
Beijo!

Re disse...

Marcele, ha exato um mes perdi minha mae, foi-se embora apos lutar por 3 poucos meses contra um cancer. E hoje, lendo seus posts, me identifico com todos, ainda estou na fase do vazio, dos altos e baixos, da saudades sem fim, da aceitação mas nao da conformação. Eh bom saber, que a cada dia a vontade de viver vai voltando, a dor vai diminuindo e a vida vai entrando nos trilhos. Bjs

Tiago Aguiar disse...

Marcele querida...

É um exercício de foco, saber se permitir, viver os momentos felizes.

Eu falho muito, me cobro imensamente, e vejo o mundo. Quase tudo dói.

Mas não me perdi. Esta é a minha maior vitória.

Acho que dia após dia, saber enxergar as pequenas mas próprias vitórias, é o caminho para a felicidade que me resta. Espero o encontrar.

ps: Como sempre, lindos os seus textos.

narinha disse...

Certíssima! Pouco a pouco teu coração não estará só pulsando, mas também " vibrando"!
Torcendo aqui, SEMPRE!

Kamyla disse...

É um incentivo ler esses seus belos e encorajadores textos...

Hj acordei mal, sem ânimo para nada...daí lembro de vc e venho procurar palavras lindas no seu blog... e sempre dá certo!!!

Muito bom lhe ver assim...

Grande abraço.