terça-feira, 13 de abril de 2010

De novo

Eu já tinha esquecido ou fugido dessas lembranças (o que é bem mais provável). Eu não me lembrava mais do toque, do sinal no pescoço, da boca carnuda e do nariz adunco. Eu não me lembrava direito do encaixe do meu corpo no dele. Eu não me lembrava mais do quanto ele era carinhoso comigo, do quando ele gostava de me apertar entre seus braços e de cheirar meu pescoço e de dizer que minha pele era uma delícia... Eu não me lembrava mais ou escondia isso tudo nas minhas caixas lacradas dentro de mim. Mas essa noite veio um sonho assim, um sonho só nós dois, um sonho em que tudo isso surgia na minha mente, um sonho que não era erótico, mas muito romântico. Éramos nós de novo com tudo o que isso significava, com tudo que a gente construiu nos nossos anos de amor. Éramos nós dois de novo, entregues e apaixonados da maneira mais leve e profunda e intensa que se pode amar outrem. Éramos Cele e Thi.

Muita saudade!

11 comentários:

Adriana disse...

Que coisa mais linda, Marcele!!!!

Alê Crisóstomo Fotografia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alê Crisóstomo Fotografia disse...

Quem sabe se ele também não estava com saudade de vc e esse foi o único modo de te encontrar...? Em seus sonhos... Não sei. Mas sei que muitas coisas tem passado pela minha cabeça, na esperança de crer que ele está vivo em algum lugar que não temos acesso.

Idê Maciel disse...

... vida linda, intensa, profunda, enraizada. Feliz, incrivelmente feliz...Dificil de esquecer. Muito desconcertante a realidade. (Ele está em algum lugar, podem crer!)

Idê Maciel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Idê Maciel disse...

esse negócio ta publicando dobrado...

Anna Caroline Nobre Gomes disse...

Um abraco de quebrar costela!

Renatíssima disse...

Com certeza era ele em espirito com saudade de vc tb!

Anônimo disse...

Oi, Marcele.
Vim aqui te dizer que acompanhei nos últimos 2 dias seu blog do início do ano até o dia de hoje. Li tudo tim-tim-por-tim e julgo, no mínimo, compreensíveis seus momentos de angústia, de dúvida e até de revolta, na acepção mais branda da palavra. Cheguei aqui por acaso e devo confessar que dobro meus joelhos para a sua coragem em se despir, em se mostrar, em ser sincera. Parabéns pela sua postura, pelo seu grande amor e pela linda família que vocês tem.

jefhcardoso disse...

Olá Cele! Hoje é quarta-feira, uma correria. Não repare em minha visita relâmpago, mas venho lhe convidar para ler o novo capítulo de “O Diário de Bronson (O Chamado)” e deixar o seu comentário.

Retornarei com melhores modos e mais tempo. Tenha uma ótima semana. Abraço do Jefhcardoso!

Izabel disse...

Muito lindo...
O seu amor,o amor dele,a família construída,o exemplo...
Mais lindo ainda...sua verdade,sua transparência,sua maneira simples de encarar e viver a sua dor...
Pode crer Marcele,ele com certeza, em algum lugar,acompanha vcs, sente saudades e muito orgulho tbém;tenho certeza que sim.
A saudade é grande,e não tem como não ser...
Será que já conseguiram distinguir o que na verdade são os sonhos?
Não poderiam ser uma forma de comunicação?
Lute pelo amor,pela vida,pela felicidade;assim o sentimento se transformará e não será mais doído e sim cheio de uma sensação gostosa de sentir.
Gde abraço no coração!