segunda-feira, 3 de maio de 2010

Para BS


Eu queria entender como que uma das melhores coisas que você já teve na vida simplesmente deixa de existir. Num determinado momento, é a melhor companhia, é o melhor ombro amigo, é sorriso espontâneo, é abraço apertado, é confiança e intimidade, é ouvido... No momento seguinte, já não é mais nada. Indiferença, distanciamento, apatia, ausência, frieza. A gente consegue esquecer tudo que foi bom e superar, mas tem umas datas que fazem tudo revirar no que há dentro de si. Principalmente quando se está ainda sensível com os loopings da vida...
 
Mais um 03/05 longe dELE. Ainda assim: que lhe seja doce e feliz!
 
______________________________________________
 
Queridos leitores,
 
Estarei no RJ este fim de semana (de 06 a 09 de maio). Quem é do Rio aí?


Cansado de entrar em todas as suas diferentes contas de email? Veja como juntar todas

7 comentários:

Alê Crisóstomo Fotografia disse...

ÊHHHHH!!!!

Kamyla disse...

Boa viagem!!!!!!
Gde abraço.

Idê Maciel disse...

... sua avó já dizia uma besteira que, no caso, faz sentido: "isso acontece com as melhores famílias de Londres" - e eu acrescento: "nem todo sapo é príncipe"! Assim é a vida, um dia a gente é baronesa com um príncipe à nossa disposição, noutro dia... nada! E, as vezes, na vida real os príncipes viram sapos e a gente tem que engolir!
Você fique bem e tudo à sua volta vai melhorar... bj

Idê Maciel disse...

No comentário anterior eu quis dizer que a vida não é um conto de fadas... Depois que li vi que não conclui.Tenha fé que tudo vai ficar bem. bjim

Milla disse...

N sou do rio,mas to aqui pra te receber!!!
Vou conhcer o Matheus!eba! Lembro de tê-lo " visto"
na sua barriga em 2006 la em sp...:)
E agora to aqui...

narinha disse...

tava nem sabendooooooo!!!
os meninos vão contigo??????

Érica disse...

Imagine, Marcelle, que eu sei do que vc fala com uma pessoa que "existe"! Eu vejo a mudança de comportamento, de tratamento, de tudo. Eu vejo o quanto tudo era maravilhoso e o quanto hoje parece que, em verdade, eu vivia um sonho. Nada restou. Nada. Nem um tratamento mais... polido. Nada. É algo muito, muito, muito violento...