quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Cartas para você XVI

Thi,

O tempo passou rápido. Já faz quase 7 meses. Já aconteceu tanta coisa depois de você sair do mundo. Aquele negócio que latejava aqui dentro foi embora. Aquela vontade de chorar cada vez que via uma família foi embora. Aquela sensação do mundo estar vazio foi embora. Aquele sentimento de que nunca mais eu poderia amar de novo foi embora. Restou aqui uma pancada de bem querer, de sorrisos, de vontade e de força de vontade. Ficou também uma tonelada de lembranças felizes e histórias lindas para recontar para os pequenos. Porque eu quero muito que eles saibam como você era. Eu quero que eles tenham exemplo de pai, de homem, em você também, não só naqueles que eles escolherão para te substituir.

Eu queria contar, Thi, que o desespero me deixou. As coisas voltaram aos lugares e a gente tá às vésperas da mudança pro apê novo. Será que você tá orgulhoso de mim, mozinho? Por eu ter conseguido segurar a onda? Por eu ter conseguido resolver tudo? Por eu ter mantido os pequenos sorridentes e saudáveis? Por eu ter me mantido mentalmente sã? Tá, eu sei, você diria que eu sou F alguma coisa, algum código do seu linguajar psiquiátrico, que significa doida. Mas eu fiquei em pé, sabe? Eu fui gastar sola de sapato no fórum, eu fui gritar com os burocratas, eu fui carimbar, autenticar e reconhecer firmas em papéis. Eu fui sozinha, Thi! Eu fiz o que precisava ser feito. Não sei se da maneira mais célere, não sei se da maneira mais certa, não sei se da maneira que você faria. Mas eu fiz como eu pude e deu certo. Eu fiz o que eu pude e me continuei em pé, procurando motivações e compensações no caos.

Quando a gente entrar no apê novo, mozinho, vai ser uma vida nova começando. Uma vida em que não haverá lembranças suas espalhadas pelos cômodos. Haverá ainda o seu sorriso lindo naquela foto de formatura na parede do escritório e em muitas outras espalhadas pela casa. Mas não haverá a memória da sua presença. Eu acho, Thi, que vai ser mais fácil seguir em frente, então. Porém, quando eu penso que estas recordações não estarão mais comigo, a vontade que eu tenho é não sair mais do nosso canto. A vontade que eu tenho é de conviver com seu fantasma, vontade de continuar me olhando no espelho com declaração de amor, e de continuar a abrir e fechar as portas do seu lado do guarda-roupa à procura do que era seu e não está mais lá.

Mudar é doloroso, Thi. É virar de vez a página de uma história que foi linda e da qual a gente foi arrancado à força. Mudar é dar adeus ao transatlântico, ao comercial de margarina. Mudar é começar tudo de novo, do zero. Mudar é abandonar um passado com o qual queríamos conviver para sempre. Mas é preciso, né? A gente tem que ir para lá. E a gente vai, mozinho. Vamos entrar com o pé direito no apê novo. Vamos colocar uma pimenteira na sala e pendurar um olho grego na porta, para que nada mais nos aconteça. Acho que você deve estar por aí, mexendo uns pauzinhos, dando uns jeitinhos, falando com quem de direito para que a vida seja mais fácil pra gente aqui e será!

Ainda saudade. Ainda amor.

Também amo você demais!

Moreninha

8 comentários:

Anônimo disse...

Chorei TAMBÉM... Sempre choro!

felicidadevemprimeiro disse...

Chorei TAMBÉM...Sempre choro!²

Anônimo disse...

Nossa Marcele, terminei de ler chorando, um choro cheio de lembranças de todos os planos para essa mudança. Fiquei pensando em todos os camentários que ele tinha feito sobre o fato de passarmos a ser vizinhas, quer dizer, se Deus quiser e conseguirmos voltar logo pra Fortaleza.Não estou conseguindo conter minhas lágrimas, mal consigo enxergar o teclado! Gostaria muito de poder estar aí, de ajudar na mudança, de sermos realmente quase vizinhas!
Que Deus e Maria abençoe vc sempre, e os pequenos tb é claro.
bjão
Aline

Anônimo disse...

LINDAAAAAAAAAA ALMA esta sua , hoje por incrível que pareça , amanheci e na ida ao trabalho coloquei um CD de Milton Nasmento , onde tem akela música AMIGO É COISA PRA SE GUARDAR ...., OW AMIGA CHOREI TANTO LEMBRANDO DE TUDO ISSO , e agora entro aqui denovo a volta a chorar , mais saiba que agora a noite foi um choro de alegria , pór vc ter conseguido ir tão longe e com certeza com a ajuda dos pauszinhos vc ainda vai muito mais.
ABRAÇOS EM VC E NOS PEQUENOS

soraya tomé

Anônimo disse...

entrar com pé direito, certeza!
SER FELIZ DE NOVO E SEMPRE!
Narinha

Anônimo disse...

Você merece toda felicidade do mundo...
Sua LUZ ilumina os caminhos dos pequenos.

Anônimo disse...

Perfeito... como sempre!

vou te conhecer um dia e me apresentar... sou amiga de amigas suas......bjo!

angelo disse...

Não tenho o menor contato com você ou com sua história mas esse seu texto baseado na mesma é supreendente..como Renato russo dizia.
força sempre!

ass;Angelo

qualquer coisa você mim encontra aqui..
esperanca-futuro.blogspot.com/