terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Dura realidade

Antes de saber do que acontecera e enquanto eu ainda fazia ligações para o mundo todo, eu senti, eu soube. Não era certeza, não foi dito por ninguém. Mas dentro de mim eu sentia uma angústia enorme, um desarranjo que eu não consigo explicar, algo me revirava tudo por dentro, me fazia bambear as pernas, me deixava tonta... Antes de ouvir a verdade, e ainda no carro a caminho de Sobral, eu sentia um aperto no peito, um rasgo disforme, as pontadas latejantes, e simplesmente não conseguia me concentrar em nada, no que era dito, nas ligações que estavam sendo feitas, nas palavras da minha sogra e do meu cunhado... Eu sabia, mas eu não queria saber.

Quando enfim me disseram, eu não conseguia chorar, ouvir, falar, me movimentar, eu não conseguia ser. Naquele momento, eu não era. Disseram que ele teve um trauma na C1, que fez com que o cerébro imediatamente se desligasse do corpo, que ele não sentiu nada, que não estava mais lá. Quando eu soube, eu também sofri este trauma, porque meu cerébro não estava mais neste corpo e eu não conseguia nem pensar.

Passado estes dias, eu voltei a mim como quem sobrevive a uma catástrofe, como quem escapou por um fio. Eu estou aqui com tudo em carne viva, histericamente, agudamente, hiperbolicamente doendo no corpo inteiro. Estou aqui, mas na UTI, sob sedação e respirando com a ajuda de aparelhos. Eu escuto ao longe pessoas conversando, crianças brincando, amigos falando... Eu sei que sobrevivi, mas não estou vivendo e, sinceramente, nem sei se serei capaz.

Quando alguém muito querido se vai assim, de repente, deixa um buraco enorme na nossa vida. É uma página escrita só até a metade, é um beijo suspenso no ar, é uma piada que não deu tempo de contar, a viagem que não deu tempo de fazer, a festa que não deu tempo de ir... Quando alguém, que é parte do que a gente é, se vai, deixa uma dor tão lancinante que parece que estão a lhe arrancar os membros a sangue frio, sem anestesia. É uma coisa que sai rasgando dentro da gente, uma dor física mesmo.

Mas além da dor da perda, da falta, da saudade, do vazio na cama, no quarto, no lar; além de ver seu menino dizer que o papai está no céu e ter que enfrentar a vida; tem a dor da prática. Eu estou na UTI e indo a cartórios, bancos, seguradoras... Eu estou me arrastando pelo mundo e cuidando de pensão, indenizações e documentos... O pior de tudo é essa pilha de coisas a resolver. Um monte de papéis, carimbos e autenticações esperando por mim. É tudo tão difícil e doloroso. É tudo burocrático demais. Se não tivesse dois pequenos a depender disso, eu tenho certeza que desde o dia 21/01 eu estava embaixo da cama, agarrada ao lençol, na companhia das minhas muitas lágrimas retidas pela burocracia.

Mas eu não tenho opção, eu tenho que ir. E eu vou deixando lágrimas pelos caminhos.

11 comentários:

Sofia disse...

Vc conseguirá sim !!!! Disso eu te garanto, pois sou a prova viva de que dá tudo certo !!!! Conheco esse rasgo no peito, essas dores agudas. Mas hj estou aqui e bem !!!! Vc é mais forte e mais guerreira !!!! E já já uma vencedora !!!! Bjos

Gabriel Leite disse...

Oi Cele, saudades de vc, viu? Tamo sempre por aqui, não esqueça disso. Bjos. Gabriel Leite

Idê Maciel disse...

Amor tão grande, Amor tão forte, Amor suave, Amor sem fim.
Que a própria morte, transforma em vida
Abraço Eterno de Deus em mim
Nem as torrentes, das grandes águas conseguirão apagar esse amor
Pois suas chamas são fogo ardente, mais do que a morte, é tão forte esse amor.
De abraço esmagante, de ausência torturante.
De noite e luz é feito esse amor!
De dor incomparável, consolo inestimável.
De vida e cruz é feito esse amor.

... que o Amor Maior - possa pacificar seu coração minimizar sua dor e tristeza... Eu amo você, incondicionalmente!!!

Viviane Queiroz disse...

Amiga força, muita força, nos momentos dificeis que parecem impossiveis pede ajuda a Deus... Estou rezando por vcs todos os dias...
Bjusss com muito carinho!!!

Anna Camila disse...

Vocês vão conseguir! um dia de cada vez... muita paz no seu coração! Bj nos pequeninos!

Izabel disse...

Eita que vc cada dia que passa se supera...sua alma minha querida está em cada palavra,em cada frase...
Não tenha dúvidas,afaste o medo,DEUS é maior e VC é MAIOR!Vai conseguir superar sim...eles precisam não só da burocracia,da pensão...eles precisam de VC...uma mãe dedicada,caprichosa,criativa,MÃE!
Que tem amor,vive amor,é amor,mas que independente de tudo isso seria mãe,com todas essas qualidades,pq estão em vc.
Respire fundo,lembre daquela frase...eu sou eu,vcs são vcs...eu estou aqui!Viva um dia por vez,e nunca,nunca esqueça que seus filhos são FRUTOS DESSE AMOR,e neles está a sua força.A saudade doída vai passar,vai se transformar...
Estaremos aqui...rezando por vcs SEMPRE!Meu GDE abraço no coração!

taticmota disse...

Marcele, sua mãe é maravilhosa. Dona Idê essa música é linda!
Beijos pra vcs!
Tatiana

Ana Lucia disse...

marcelle..sofro muito quando leio o que vc escreve. porém necessito passar para lhe abraçar e dizer que vc não est só e os melhores amigos também sofrem com vc e ainda se recuperam desse sofrimento. com certeza DEUS est presente...

Ana Lucia disse...

abraços para D.IDE.

Anônimo disse...

Marcele,
nunca nos vimos,tenho minhas diferenças com a sua irmã,e por acaso conheço algumas pessoas do seu prédio e por elas soube o que tinha acontecido...
olhei seu orkut e acabei vindo parar no seu blog...Li e chorei com tudo o que vc escreveu,que amor lindo de vcs;espero que o meu tb seja lindo assim =]
Que mulher incrível é vc,linda,inteligente e apesar de toda força e fragilidade ao mesmo tempo sei que vai conseguir ir em frente;nao digo superar pq isso é insuperável!
Mas sei que tem pessoas que te amam,sua familia com certeza te apoia,seus amigos e até pessoas como eu que nem te conhecem...
Depois de coisas tristes,pode ter certeza que muitas coisas maravilhosas virão pra vc e seus pequenos...A partir de agora vc tem que tirar força deles,do amor que vc tem por eles,acredite que vc vai conseguir,é dificil,mas tente ser feliz!
Acho que o Thiago gostaria de te ver assim!
Te desejo sorte,paz muita paz,sabedoria,saúde e muitos amigos pra te apoiar....

Laura disse...

Marcele, não sei o que aconteceu, mas ao passo que fui lendo a descrição de sua dor, ela se tornou física em mim. Senti meu coração doer. Força. bjs