terça-feira, 23 de novembro de 2010

Certezas

Eu sei que nesse processo todo por que passei é normal, muitas vezes, se sentir perdido. É normal, vez em quando, ter a sensação de naufrágio, de vazio, de que puxaram o tapete. Eu sei que, algumas vezes, eu simplesmente não sei o que fazer e não me sinto segura com a opinião e a ajuda de seu ninguém. Eu sei que há dias em que eu sinto mais pesado, mais doído, mais triste, I feel blue. Sei que tenho aqueles momentos de olhar para o nada e achar que o futuro não tem mais graça alguma. De pensar que morrer agora, jovem assim, é até atraente. Porque, né?, vou reencontrar quem eu perdi. Penso que não tem mais sentido algum ser feliz e sorrir, vezenquando. Mas eu queria saber como é que eu posso, tendo vivido isso tudo e tendo estas sensações cotidianamente, como eu posso ter tanta certeza sobre algumas coisas? Como eu posso achar que elas são o meu caminho, que eu sei exatamente o que fazer e me sentir tão segura em relação a elas? Coisas que deixam meus dias mais leves, me trazem novas perspectivas e me fazem sorrir. Coisas que fazem com que eu me sinta viva de novo e com brilho no olhar e com esperança no futuro e feliz. Coisas que caem no colo como que caídas do céu e trazem essa sensação de paz, de caminho certo, de tudo no seu devido lugar, de arranjo cósmico. Como eu posso ter essa sensação de certeza em relação a elas, se não estou certa sobre mais nada na vida? Como eu posso acreditar que sim, que é isso mesmo, se eu mesma estou ainda confusa e perdida? Como eu posso acreditar nelas, confiar, apostar se eu nem sei se essa certeza que eu sinto procede? E aí eu mesma descubro que me baseio nas batidas do coração que tais coisas provocam, no tumtumtum que diz em alto e bom som que é isso aí, que é isso mesmo. Quando o coração bate assim, ele simplesmente não pode estar enganado. E eu vou levando a vida, ouvindo e confiando nas certezas que batem no peito.

5 comentários:

Mirys + Guigo + Nina disse...

Cele: seu post é um ALÍVIO!!! Ficar viúva muito cedo é super complicado e confuso, mesmo...

Não vejo a hora de, um dia, me sentir assim... leve... de novo! Mas, ao mesmo tempo, ainda tenho a sensação de que não deveria querer isso, afinal "sou casada". Sei que não sou mais, mas meus sentimentos não obedecem minha cabecinha...

Só digo que estou MEGA feliz por você e espero MESMO que apareça um certo alguém muito legal para quebrar esse ciclo de tristezas! Você merece e suas crianças também!

Bjos no coração...

Mirys - obs: hoje é o MEU "dia 20"... tô um caco... mas sorrindo!...

Adriana Barreto disse...

Isso mesmo moça!! Isso é viver, apesar de tudo. É não jogar a toalha, é acreditar na vida. Beijos

Anônimo disse...

Não, não é arranjo cósmico. E sim, caem do céu. É essa força que ninguém explica que chamamos de Deus.

Lu disse...

Cele,
Queria ter suas certezas...ando tão mal, tão triste...tá difícil de digerir a perda...
Já fui otimista...já tive esperança...mas, agora...
bjs
Lu.

Idê Maciel disse...

Isso é verdade, anônimo, essa força que nos move pra frente, pra cima e SEMPRE é DEUS!!!