quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Keep walking

"Eu me sinto às vezes tão frágil, queria me debruçar em alguém, em alguma coisa. Alguma segurança. Invento estorinhas para mim mesmo, o tempo todo, me conformo, me dou força. Mas a sensação de estar sozinho não me larga. Algumas paranóias, mas nada de grave. O que incomoda é esta fragilidade, essa aceitação, esse contentar-se com quase nada. Estou todo sensível, as coisas me comovem." (Caio F.)
Viver não tem sido fácil. Há que se lutar com um leão por dia. Há cálculos mentais para adequar sonhos e projetos com orçamento familiar limitado. Há saudade e vazio. Há enxurrada de lembranças e de memórias vezenquando. Na maior parte das vezes em que elas me atacam, eu corro, corro, corro. Vou para bem longe para que elas não me assolem. Em algumas vezes, elas me pegam, me desmontam, me jogam no chão do fundo do poço de novo. Eu fico lá chorosa, no escuro, juntando meus pedaços... Mas subo as escadas rapidinho, porque eu as construí bem sólidas, resistentes, para cair e voltar aqui para cima quantas vezes for preciso.
Mesmo aqui em cima, não é tudo céu azul. Tenho minhas tempestades e erupções. Tenho meus anseios e frustrações. Tenho a vida como ela é: nem sempre certa, nem sempre justa, nem sempre coerente. Apenas a vida. E que alternativa eu tenho a não ser viver? enfrentar esses problemas todos? desfrutar das coisas boas (que sejam em maior número, por favor!)? Desistir de tudo não é opção. Sigo meu caminho árido, cheio de buracos, sem manutenção e sem cuidado; mas sei que esse é apenas um trecho do percurso.
Há de ter logo mais à frente céu azul e bela vista, cheiro de comida caseira, beijo de amor, mãos dadas e corações enlaçados. Há de ter logo ali, depois daquela curva (ou seria um looping?), pré-adolescentes sem traumas, carinhosos, confiantes, esforçados e estudiosos. Há de ter, mais na frente, segurança, equilíbrio e paz. É só continuar na marcha, ir tocando em frente... O percurso pode até ser difícil, mas é preciso manter o coração tranquilo. E eu vou cantando que "ando devagar porque já tive pressa e levo esse sorriso porque já chorei demais".

3 comentários:

Mirys + Guigo + Nina disse...

Cele:

Para o seu percurso difícil... mas com coração tranquilo...
http://diariodos3mosqueteiros.blogspot.com/2010/11/o-maior-presente-diario-da-mirys.html

Acho que você já até leu, mas quis te mandar de novo! É especial. É diferente do resto dos textos. É para você.

Bjos e bençãos.

Mirys

eumesma disse...

Amei o post... É isso ai, temos que enfrentar a vida como ela é e saber que sempre tem algo bom nos esperando!
Equilibrio, sempre

Dinorah disse...

Marcele, fico feliz por te saber cantando baixinho,devagarinho, assim. Afirmo, com muita certeza, que tem coisa muito bonita depois da curva. aguarde.
boa sorte
Dinorah