terça-feira, 2 de março de 2010

Cartas para você IV

Finalmente, depois de 40 dias eu consegui criar coragem de ir te visitar, Thi. A coragem não surgiu do nada, é claro. Fui muito mais para matar a curiosidade do nosso grandão, que já começava a fazer perguntas muito difíceis e criar subtefúrgios para escapar da realidade dolorosa. Ele me dissera que o papai estava trabalhando. Não sei se por causa da história da Vovó Paula, sobre cuidar do papai do céu. Não sei se era mesmo só para amenizar a dor da falta. Sei que eu senti que não poderia deixá-lo acreditar nisso e fui.

Fui no fim da tarde do domingo, quando o sol formava sombras compridas, como eram os nossos planos. Fui lá e sentei na grama daquele ambiente silencioso, pacífico, tranquilo, cercada por flores de tantos tons, no calor que tem feito estes dias. Sentei sobre o lugar em que enterramos você, meu amor. Sentei abraçada aos nossos dois pequenos e expliquei, sem chorar, que depois que as pessoas morrem, os que ficam vivos colocam o corpo do que morreu numa caixa e a enterram. O grandão pediu para desenterrar, disse que queria ver seu corpo. Eu expliquei a ele que não podia, que o corpo fica muito machucado, fica cheio de feridinhas e de dodóis. A gente falou com você, Thi. Dissemos que amamos você, que estamos com saudade, que queríamos que você estivesse aqui com a gente, mandamos beijos. O gorducho quase não parou de estalar os lábios e repetir "papá".

Coincidentemente, havia um enterro acontecendo e a mamãe tratou de explicar para o Matheus como acontecia. Mostrou para ele a caixa e como ela era enterrada. Eu não sei até que ponto ele compreendeu, Thi. Sei que ele ficou um pouco confuso, pois perguntou como o papai poderia estar lá naquela grama e no céu ao mesmo tempo. Tentei explicar que o corpo era uma coisa e o espírito era outra e que, embora seu corpo machucado estivesse ali, seu espírito íntegro estava lá no céu. Mas essa dissociação, meu amor, é muito complicada para a cabeça de uma criança tão pequena, como nosso grandão.

No final da visita, eu fiquei sozinha. Tive meu tempo de refletir sobre isso tudo. Continuo sem entender; sem encontrar uma só razão possível; sem descobrir porque desígnio tão infeliz para nós três que ficamos aqui sem você, sem nossa base, nosso alicerce, nossa força; sem ter como seguir em frente. Continuo perdida, Thi, sem saber como resolver tanta coisa ao mesmo tempo, sem saber como tocar a vida... Vou tateando no escuro, com passos pequenos, um de cada vez, com as mãos esticadas para frente, com medo de esbarrar numa parede intransponível ou de cair num buraco ainda mais fundo. Vou aos pouquinhos, cega, sem sinais indicativos de caminho seguir, baseando-me basicamente no meu instinto de mãe e de mulher. Vou em frente, mas eu escuto, Thi, de algum lugar, não sei se do passado ou do futuro, eu escuto você me dizendo que eu vou conseguir. E eu vou!

Também amo você demais!

Moreninha


Fale com seus amigos do Messenger direto da Caixa de Entrada do Hotmail. Clique aqui

13 comentários:

Anônimo disse...

A Morte não é Nada
" Santo Agostinho "

"A morte não é nada.
Eu somente passei
para o outro lado do Caminho.

Eu sou eu, vocês são vocês.
O que eu era para vocês,
eu continuarei sendo.

Me dêem o nome
que vocês sempre me deram,
falem comigo
como vocês sempre fizeram.

Vocês continuam vivendo
no mundo das criaturas,
eu estou vivendo
no mundo do Criador.

Não utilizem um tom solene
ou triste, continuem a rir
daquilo que nos fazia rir juntos.

Rezem, sorriam, pensem em mim.
Rezem por mim.

Que meu nome seja pronunciado
como sempre foi,
sem ênfase de nenhum tipo.
Sem nenhum traço de sombra
ou tristeza.

A vida significa tudo
o que ela sempre significou,
o fio não foi cortado.
Porque eu estaria fora
de seus pensamentos,
agora que estou apenas fora
de suas vistas?

Eu não estou longe,
apenas estou
do outro lado do Caminho...

Você que aí ficou, siga em frente,
a vida continua, linda e bela
como sempre foi."

Flavia disse...

Lindo esse texto da pessoa que postou acima. Acho que todas as respostas que buscamos um dia iremos tê-las, querida! Mas não aqui na Terra, num lugar muito melhor...

Soraya disse...

vc tem sindo minha fonte de oração e admiração .FORÇA E FÉ é sempre o que te desejo .
abraçosssss

Anônimo disse...

É ler e imaginar a cena. É ler e se emocionar junto. É ler e achar que te conheço de verdade. É ler e pedir pra Deus que 'vc consiga logo.
Paula.

Anônimo disse...

Querida Marcele, não te conheço pessoalmente, mas tenho uma profunda admiração por sua força.Claro que vai conseguir vencer todas as adversidades da vida.Seu nome é superação.Desejo toda felidade do mundo,virei sua fã.
Nunca deixe de acreditar em Deus,nunca deixe de ter fé,nunca deixe de sonhar,pois ele nos ama como um verdadeiro pai.
Abraços Fraternos!
ANA.

Izabel disse...

Cele querida!
Cada carta sua para o Thi,mais me convenço de sua força interior,mais me convenço no poder do amor.
Vc o escuta dizendo que vai conseguir,porque ele está ao lado do Pai maior,e pertinho de vcs!
Este texto acima é a mais pura verdade.
Nunca deixaremos de pensar,lembrar,e sonhar com alguém que foi puro amor,pois só de amor vivem as pessoas de bem,que fazem bem,mesmo quando estão físicamente longe de nós.É natural sua insegurança,seu medo,sua falta de forças...mas nosso Pai maior nunca nos falta,está ao nosso lado nos enchendo de força mesmo sem percebermos.Vivendo a verdade como estás vivendo,sem querer ilusões no caminho seu e de seus filhos,vc vai aos poucos curando suas feridas,e sua dor vai se transformando.Vc perdeu o alicerce diante de seus olhos,mas tudo o que foi construido por vcs dois aqui permanece,e ai está a sua força,o seu caminho! Nós vivemos na certeza de que o que nos vale, é a presença física,mas caráter,retidão,amor,sensibilidade,fraternidade,não são físicos, e depois de construídos são norteadores para a vida toda.
Vc vai encontrar o seu caminho,a sua vida vai novamente encher-se de cores,simplesmente porque veio ao mundo para ser feliz!
E o universo conspira à seu favor!
Luz e paz!
Bjokas e um gde abraço,bem apertadinho!

Adriana ,Sofya e Emanuelle disse...

Achei seu blog através de o blog de uma amiga.
Isso faz 1 semana.
Eu leio e choro..

Tenho uma dor parecida com a sua.. Não perdi meu marido em acidente, mas sim perdi pela covardia dele(ele nao morreu nao) e sei bem a dor que é em pensar: MEU DEUS, COMO VOU CUIDAR DE DUAS CRIANÇAS SOZINHA?
Linda: Jamais tenha medo disso tá! Vc conseguirá! E pelo que vejo é uma mamae perfeita que ama seus filhos!
Minha prima perdeu o marido recentemente,ela tinha uma menininha..E vejo a dor dela... A sua dor... Ninguem merecia passar por essa dor.. Ninguem!

vcs estão em minhas preces tá!

Adriana ,Sofya e Emanuelle disse...

ah, e como foi tido no texto acima

A MORTE NÃO É NADA! É SÓ O COMEÇO DE UMA NOVA VIDA!

Kamyla disse...

E não é só ele que acha que vc vai conseguir...todos nós achamos...todos nós temos certeza!!!
Forte abraço.

Anônimo disse...

muito mais força ainda, Marcele...força é o que vc demonstra em todas os seus desabafos..
CAROL

c. disse...

te desejo uma paz azul, querida. e uma força imensa. há de haver uma razão por detrás de todas as coisas deste mundo. há de haver. algo que não nos é permitido saber, mas apenas vislumbrar. temos de acreditar nisso, e seguir. um fraterno abraço em você e nos seus pequenos. tenho refletido um bocado sobre a vida através de vocês. obrigada.

Anna Caroline Nobre Gomes disse...

Uma quarta-feira de muita luz! Voce vai conseguir sim!

Abraco forte!

Neyla disse...

Marcelle..
que carta liinda!
me emociionei mto ao lê..
Vc é uma mulher de fibra...Vai conseguir superar tudo isso com seus pequenos..

Que Deus os abençõe!

Abraços.